Polícias portugueses vão usar fraldas durante visita do Papa Francisco

terça 22 setembro 65449 ações

Polícias portugueses vão usar fraldas durante visita do Papa Francisco

A visita do Papa Francisco a Portugal, em maio, foi um dos pontos da agenda na reunião que decorreu ontem, quinta-feira, à tarde, na sede do Sistema de Segurança Interna (SSI). Todos os chefes máximos das forças e serviços de segurança, que constituem o Gabinete Coordenador de Segurança (GCS), fizeram as suas avaliações acerca das necessidades de segurança para esta visita, que terá o Santuário de Fátima como ponto central, e vão partilhá-las para o planeamento da operação que envolve várias polícias e os serviços de informações.
Constança Urbano de Sousa, ministra da Administração Interna, garante que “a visita do Papa agendada para maio está a ser preparada com ‘’cuidado especial’’, e a reunião desta quinta-feira foi apenas mais uma, pois a planificação de toda a segurança inerente a esta visita do Papa está a ser planeada há muitos meses, e coordenada pela senhora secretária-geral do Sistema de Segurança Interna”, disse, acrescentando ainda que, para além do controlo das fronteiras, que já foi anunciado para atingir esse objectivo, haverão outras medidas rigorosas, nesta que terá um dos maiores dispositivos de sempre em Portugal, podendo mesmo recorrer-se ao uso de fraldas pelos elementos policiais, para garantir que não haja interrupções na segurança.
Contactada a Direção Nacional da PSP, esta não quis tecer quaisquer comentários, remetendo esclarecimentos para o Ministério da Administração Interna (MAI).
Na impossibilidade de contactar a ASPP/PSP, sindicato mais representativo desta policia, foi contactado o Presidente da SONASOL, (um dos sindicatos em risco de extinção), tendo Orlando Feiteira se pronunciado, congratulando-se com a ideia, pois de acordo com um programa antecipado, a visita do Papa durará cerca de 24 horas. Disse ainda, que a SONASOL, enquanto entidade pública na defesa dos seus profissionais, tem o dever de pugnar pelo bem estar, e neste caso também pela dignidade dos polícias. Que se sentia confiante, uma vez que a utilização deste produto de higiene íntima, deu bons resultados nas forças policiais das Filipinas em 2015, aquando da visita do Sumo Pontífice àquele país. Apelou apenas para que a ministra da Administração Interna, garanta que as fraldas a serem usadas pelos elementos policiais, não contenham perfumes ou outros ingredientes nocivos, e que sejam biodegradáveis e com certificação ecológica.

LS


recomendado